Categorias
Blog Dicas Slider

FARINHA SECA BARRIGA

A farinha seca barriga é uma combinação de vários tipos de fibras, que funciona como uma teia que capta parte da gordura e a elimina. Então, consumir a farinha seca barriga antes das refeições faz com que parte da gordura da refeição não seja absorvida, além de fazer com que os carboidratos sejam absorvidos de maneira mais devagar, o que também é fundamental para o emagrecimento.

Seus ingredientes contribuem para o efeito mecânico da farinha, que é a sensação de saciedade provocada pelas fibras. A Seca Barriga também contribui para a diminuição do colesterol LDL, ajuda a regular o intestino, ativa a circulação e ajuda a retardar o envelhecimento. Inclua uma colher de Farinha Seca Barriga com água ou suco meia hora antes das refeições. Sentirá a diferença logo na primeira vez que usar: a sensação de preenchimento gástrico proporcionada pelas fibras, faz com que você se sinta mais satisfeito comendo menos! Para aproveitar melhor os benefícios da Seca Barriga siga a dica: alimentação balanceada, bastante água. Pratique exercícios físicos por pelo menos 40 minutos todos os dias. Disciplina e paciência, não se trata de milagre, uma dieta com efeito duradouro dura vários meses, e a perda de peso é relenta. Se você perder 5kg em uma semana, provavelmente logo irá recuperá-los.

A mistura balanceada das farinhas de beringela, banana verde, feijão Branco, Maracujá, Maçã, Laranja, Limão, Mamão, Cenoura, Ameixa, Soja Preta, Uva com Colágeno, Psyllium e Agar-agar, enxuga a barriga e emagrece! A boa notícia é o resultado de um estudo realizado pelo Instituto de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Os Benefícios da Farinha:

1. Seca a Barriga   – A farinha associada a uma dieta pobre em calorias favorece a queima da gordura corporal, principalmente na área abdominal. Com a diminuição da gordura visceral, cai o risco de diabetes.

2. Emagrece  – Segundo as nutricionistas, as vitaminas presentes nas farinhas desta composição, atuam nas reações bioquímicas responsáveis pelos processos metabólicos de emagrecimento que fazem o corpo secar.

3. Reduz os níveis do colesterol LDL  – Com a aceleração do trânsito intestinal, os sais biliares (substâncias que ajudam na digestão da gordura) não são absorvidos pelo organismo. Para reconstruí-los, o corpo utiliza colesterol LDL (ruim) e reduz, assim, a sua concentração.

4. Melhora o trânsito Intestinal  – Como as fibras não são absorvidas pelo organismo, elas promovem o aumento do bolo fecal e regulam o intestino. No entanto, o consumo da farinha deve estar associado ao aumento da ingestão de água para equilibrar o trânsito intestinal.

5. Tira a fome  – As fibras solúveis presentes na farinha composta absorvem água do organismo e, no estômago, aumentam de tamanho. Conclusão: o órgão  informa o cérebro que o corpo está saciado e não precisa mais se alimentar nas próximas horas.

6. Outros Benefícios  – Além de emagrecer, auxilia na queima da gordura localizada, sacia o apetite, tira fome, aumenta a disposição, evita doenças, combate a TPM, intestino preso e diabete, combate o colesterol, e triglicerídeos, ativa a circulação e ainda ajuda a retardar o envelhecimento.

Atenção: para conseguir todos esses benefícios, é preciso beber muita água pelo menos 8 copos por dia. É que as fibras precisam de líquido para ajudar o intestino a funcionar bem. Sem água, o efeito pode ser o contrário.

Por ser um alimento rico em  fibras, ao consumir a FARINHA SECA BARRIGA você tem a sensação de saciedade e demora ter fome outra vez. A grande quantidade de proteína combate a fraqueza e anemia, o resultado disso é maior disposição para encarar as tarefas diárias.

 

Categorias
Blog Dicas

FARINHA DE FEIJÃO BRANCO

Dez entre dez brasileiros preferem feijão! E, normalmente, é a versão carioca ou preta que faz a cabeça e o prato por aqui. Mas, quando o assunto é farinha e emagrecimento, tente privilegiar outra cor da paleta dessas leguminosas: o branco. Esse tipo é rico em uma proteína chamada faseolamina, que inibe a absorção de cerca de 20% dos carboidratos que são ingeridos com ela, ou seja, reduz as calorias ingeridas e consequentemente emagrece. Mas a propriedade só se conserva na farinha, que não pode ir ao fogo para ser produzida.

Outro ponto positivo dessa farinha é que ela não contém glúten. No entanto, é preciso tomar cuidado com o consumo em excesso ou diário por mais de 30 dias, afinal os feijões crus têm compostos que podem atrapalhar a absorção de alguns nutrientes, como o ferro.

O feijão branco tem um perfil nutricional rico em minerais como cálcio, ferro e potássio, em que ele ganha dos outros tipos de feijões. Também contém boas quantidades de vitamina E e K. Ele ainda tem menos gorduras totais do que o feijão preto e carioca.

Mas o nutriente chave desse feijão é mesmo a proteína faseolamina, exclusiva dessa leguminosa e que tem a capacidade de impedir a absorção de 20% dos carboidratos ingeridos. Essa substância só se conserva, porém, quando o grão está cru, por isso a propriedade é atribuída principalmente à farinha dessa leguminosa.

Não existe, porém, uma tabela nutricional oficial da farinha de feijão branco para analisarmos suas propriedades. Especialistas ressaltam sua alta quantidade de fibras, além da presença da faseolamina.

Benefícios da farinha de feijão branco

Ajuda a emagrecer A farinha de feijão branco vem sendo vinculada ao emagrecimento. Um estudo feito na Universidade da Califórnia (Estados Unidos) com 50 pessoas obesas mostrou que os voluntários que ingeriram uma porção diária dessa farinha perderam 1,7 kg mais do que os que receberam placebos. São três mecanismos que levam a esse benefício:

opção para consumi-lo

1. Reduz absorção de carboidratos A proteína faseolamina atua inibindo parcialmente a ação da enzima alfa-milase, que transforma o amido dos alimentos em glicose. Dessa forma, os carboidratos não são quebrados e não são digeridos. Ou seja, ela é capaz de reduzir em 20% a absorção de carboidratos consumidos com ela, o que consequentemente reduz também parte da energia trazida pela refeição, equilibrando a equação do emagrecimento, que consiste ter um número maior de calorias gastas do que as consumidas.

2. Aumenta a saciedade A farinha de feijão branco é rica em fibras, como a maior parte das farinhas. Por isso, ela forma um gel no bolo alimentar que torna mais lenta a absorção da glicose e do colesterol, mantendo o estômago cheio por mais tempo e aumentando a distensão das paredes desse órgão. Ambas os mecanismos ajudam a ativar asaciedade, fazendo com que o consumo calórico nas refeições seja menor.

3. Reduz o depósito de gordura Com a faseolamina reduzindo a conversão de amido em glicose e as fibras tornando lenta a absorção do resto do açúcar, acaba-se evitando picos glicêmicos no sangue. Isso significa que menos insulina será produzida, hormônios responsável por colocar a glicose dentro das células e que também está relacionado ao depósito de gordura nos tecidos adiposos. Quanto menos ele circular pelo corpo, menos gordura será acumulada e mais massa gorda será evitada.

Controla a glicemia Não só o emagrecimento é promovido com a redução dos picos glicêmicos ocasionada pela aliança da faseolamina com as fibras. É possível também prevenir o diabetes tipo 2. Isso porque, com o tempo, o excesso de insulina circulando pelo corpo ocasiona uma tolerância de alguns tecidos e órgãos a esse hormônio. Ou seja, é preciso cada vez mais insulina para se armazenar nessas células a mesma quantidade de glicose. Isso pode evoluir para um quadro chamado resistência a insulina, condição que predispõe o diabetes. Para os diabéticos também é importante ter uma glicemia mais controlada, para que seu quadro fique mais estável e eles respondam melhor ao tratamento.

Melhora o trânsito intestinal O gel formado pelas fibras também ajuda a melhorar o fluxo do bolo alimentar e fecal pelo sistema digestivo, evitando a constipação. Além disso, as fibras são fermentadas no intestino pelas bactérias do bem de nossa microbiota (antes conhecida como flora intestinal), o que favorece sua proliferação, beneficiando a digestão.

Reforça o sistema imunológico Cerca de 60% das imunoglobinas (células de defesa) do corpo estão no intestino, portanto o bom funcionamento desse órgão pode influenciar e melhorar o sistema imunológico. Além disso, quando as bactérias do bem presentes na microbiota intestinal digerem as fibras, elas produzem ácidos-graxos de cadeia curta, que impedem que os microorganismos ruins cheguem à corrente sanguínea.

Reduz o colesterol As fibras reduzem a absorção do colesterol durante a digestão, fazendo com que reduza a quantidade dele circulando no nosso sangue. O colesterol é importante para o funcionamento do corpo, mas em níveis corretos.

 

 

Categorias
Blog Dicas

ALIMENTOS E EMOÇÕES

Banana – contra a ansiedade 

Se você anda mais ansiosa que o normal, aposte na banana para elevar os níveis de serotonina. Quando os níveis desse neurotransmissor estão baixos, falha a comunicação entre as células cerebrais. Aí você fica irritada  e especialmente ansiosa. A fruta combina doses importantes de triptofano e vitamina B6. Juntas, as duas substâncias se tornam poderosíssimas na produção da serotonina.

Quanto consumir: 2 unidades por dia

 

Mel – pura alegria

Triste sem motivo? De novo a causa pode ser a serotonina de menos. Nesse caso, o mel funciona     como um calmante natural, pois aumenta a eficiência da serotonina no cérebro. Mas não é só aí que ele atua. Quando alcança o intestino, ajuda a regenerar a microflora intestinal. Resultado: o ambiente se torna mais propício para a produção de serotonina. Surpresa? Pois é, cerca de 90% do neurotransmissor do bom humor é produzido no intestino.

Quanto consumir: 1colher (sopa) / dia.

Abacate – amigo do sono

Dormir é tão importante para viver bem quanto comer direito e fazer exercícios. Tem noite que o sono não vem? Põe fé no abacate. Tudo bem, ele tem gordura, mas é boa. E oferece vitaminas que ajudam você a se entender melhor o travesseiro. A vitamina B3 equilibra os hormônios que regulam as substâncias químicas cerebrais responsáveis pelo sono. Já o ácido fólico funciona como se fosse uma enzima, alimentando os neurotransmissores que fazem você dormir bem.

Quanto consumir: ½ abacate pequeno, 3x / semana.

Salmão – levanta o astral

Mau humor constante pode ser sinal de falta de ômega 3 no prato. O representante oficial dessa gordura amiga é o salmão. Mas existem outros peixes (atum, aranque e sardinha) que jogam seu astral lá para cima. O ômega 3 melhora o ânimo porque aumenta os níveis de serotonina, dopamina e noradrenalina – substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar. Estudos também comprovam que este ácido graxo tira os radicais livres de cena e assim protege o sistema nervoso central.

Quanto consumir: 1 porção, 3x / semana.

Lentilha – afasta o medo

Angústia e medo podem estar relacionados ao desequilíbrio de cálcio e magnésio. Essa dupla atua no balanceamento das sensações. Além de incluir alimentos com cálcio (queijo e iogurte) e magnésio (acelga) na dieta, consuma mais lentilha. Ela tem efeito ansiolítico, ou seja, tranqüiliza e conforta. Isso porque é precursora da gaba, neurotransmissor que também interfere nos sentimentos.

Quanto consumir: 3 conchas pequenas / semana.

Nozes – mantém você concentrada

São muitos os nutrientes das nozes. Mas é a vitamina B1 a responsável por essa fruta oleaginosa melhorar a concentração, pois a B1 imita a acetilcolina, neurotransmissor envolvido em funções cerebrais relacionadas à memória.

Quanto consumir: 2 nozes, 4x / semana.

Chá verde – espanta o estresse

Essa erva, a Camellia sinensis, tem fitoquímicos (polifenóis e catequinas) capazes de neutralizar as substâncias oxidantes presentes no organismo que, em excesso, deixam você cansada e estressada e acabam desorganizando o funcionamento do organismo. O estresse é capaz de desencadear a síndrome metabólica, culpada por doenças como a obesidade e a depressão. Beber chá verde, conforme alguns estudos, melhora a digestão e deixa a mente lenta.

Quanto consumir: 4 a 6 xícaras (chá) / dia.

Brócolis – deixa a mente esperta

É comum você demorar alguns segundos para lembrar o número do seu telefone? Este alimento é rico em ácido fólico, acelera o processamento de informação nas células do cérebro, conseqüentemente, melhorando a memória. Porções extras desta verdura vão fazer você lembrar de tudo rapidinho.

Quanto consumir: 1 pires / dia.

Óleo de linhaça – dribla o apetite voraz

O óleo extraído da semente de linhaça e prensado à frio é uma fonte vegetal riquíssima em gordura ômega 3, 6 e 9. Melhor: é um dos poucos alimentos com ômega numa proporção próxima do ideal, o que é imprescindível para que exerça suas funções benéficas. Uma delas é regular os hormônios que ajudam a manter o sistema nervoso saudável. Com isso, a ansiedade perde espaço e a cumpulsão a comida fica bem menor.

Quanto consumir: 1colher (sobremesa) / dia, antes das refeições principais.

Gérmen de trigo – acaba com a irritação

Assim como as nozes, o gérmen de trigo tem vitamina B1 e inositol, que reforçam a concentração. Mas por ter uma boa dose de vitamina B5, o gérmen é especialmente indicado como calmante, já que melhora a qualidade de impulsos nervosos, evitando nervosismo e irritabilidade.

Quanto consumir: 2 colheres (chá) / dia.

Tofu –  espanta o desânimo

O queijo de soja tem o dobro de proteínas do feijão e uma boa dose de cálcio. Também é rico em magnésio (evita o enfraquecimento das enzimas que participam de produção de energia) e ferro (combate a anemia). Quando estes minerais estão em baixa no organismo, você se sente fraca e sem ânimo. Mas é a colina, substância que protege a membrana das células cerebrais, que dá ao tofu o poder de acabar com o cansaço mental.

Quanto consumir: 1 fatia média / dia.

Dr. Luiz Carvalho – Nutrólogo e Nutricionista

Nut. Gabriela Zanatta Port – Nutricionista